Quinta-feira, 25 de Outubro de 2007

«A criatividade é um bem escasso», Sessão de Esclarecimento das CC

            Para este dia estava estipulado uma sessão de esclarecimento sobre o Concurso das Cidades Criativas, à qual dois membros do grupo de trabalho tiveram o privilégio de estar presentes, decorrido na Escola Secundária José Estêvão, em Aveiro.

            Quando lá chegamos (Ariana Biscaia e Ana Teresa), acompanhadas pelo professor da disciplina, Rui Caramez, já sucedia um pouco a abordagem conceptual sobre a ciência e a tecnologia dirigida pelo Professor Doutor António Câmara (YDREAMS / UNL). De sala cheia, instalamo-nos e atentamente escutamos os diversos pontos de abordagem expostos ao longo dos discursos proferidos.

Tomando apontamentos escritos e mentais ostentamos um que demonstra que «a criatividade é um bem escasso», que tem uma admirável expansão económica e «se todas as cidades tivessem a mesma criatividade já deixariam de ter valor».

 

A dissertação do Professor Doutor António Câmara abordou quais deveriam ser os pontos de vista de um investigador, identificar os problemas suburbanos, a visão do empreendedor, as urbes colaborativas, em que os sistemas tradicionais de media são passivos e o uso da Internet permite uma melhor exploração face à monitorização ambiental entre outros aspectos, a urbe criativa que por sua vez invoca uma visão economista (factores que permitem tornar um sítio melhor, universidades de classe mundial e engenhos por elas atraídos) e a urbe como laboratório («algo excitante»), os locais onde se produz ciência fazendo parte de um roteiro e transformando-se num caso exemplar.

As conclusões mencionadas pelo próprio e por António Câmara são relevantes, sendo elas:

- «A nova urbe tem de ser um centro de economia de conhecimento, atracção de talentos e a classe mundial deve ser prioridade.»

- «O empreendonismo deve ser estimulado.»

- «O mundo não é plano: os centros em que a criatividade está mais desenvolvida são também aqueles que prosperam economicamente o desenvolvimento de uma nova abordagem preparatória em que as estratégias associadas ao desenvolvimento da criatividade sejam utilizadas, ajudando a criar “novas urbes”.»

- «As cidades têm de explorar os factores que as diferenciam.»

- «Transformar-se em laboratórios, espaços de aventura e experimentação.»

- «Devem apostar no desenvolvimento de estratégias colaborativas que mobilizem os cidadãos e que tirem partido das tecnologias disponíveis.»

 

Algo de proeminente referido foi a importância dos municípios e dos agentes culturais participarem na divulgação e acompanhamento dos trabalhos e a criação de uma rede media local que os exponha e anime o debate ao nível local. Quanto à cooperação do município para com o nosso projecto já está integrada, o que nos favorece e encoraja ainda mais.

 

Ideias surgiram, é o que se quer, e após o enquadramento formativo da disciplina de Área Projecto, que o professor previamente nos apresentara numa das aulas, fomos embora com sorrisos desenhados no rosto a transpirarem boas perspectivas face  à temática em causa.

E como se está sempre a aprender: «Ser criativo é fazer o que os outros não tem e mostrar-lhes isso; é bom ter autonomia e confiança.».

 

tags:
Publicado por apvpancora às 23:08

Link do post | Comentar | Adicionar aos favoritos

Quem somos?

O que podes visitar

Últimos posts

Semana Cultural e Desport...

Preparativos

Fichas de Inscrição

Gazeta - 21 de Maio

Semana Cultural e Desport...

Panfleto

Resumo Semanal

Cartaz da Semana Cultural...

Gazeta - 04 de Maio

Resumo Semanal

Junho 2008

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30

Arquivos

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Outubro 2007

Pesquisar neste blog

 

tags

todas as tags

subscrever feeds